FLAMINIUS -ADAR

T A R O T I S T A

        O CLÃ DOS FLAMINIUS1

 


 

Os Flamínius foram os sacerdotes de

Roma Antiga que zelavam pelo Templo

a Júpiter. O Templo a Júpiter, foi o mais

importante de Roma. Era o recinto das

grandes celebrações políticas e

religiosas da época.

Os maiores dirigentes tomavam posse

de seus cargos sob a égide de Júpiter.

As declarações de guerra e paz e o

próprio tesouro oficial de Roma eram

também ali regidos. Os Flamínius

deramorigem a família Flamínia que com o

suceder das gerações e das realizações deram nome a cidade de Flumignano, de onde se origina este tarotista.

Júpiter foi o Deus supremo do panteão romano e seus atributos eram o raio e a águia. Deus da luz e do céu, protetor do estado e de suas leis. Os romanos o adoraram como Jupiter Optimus Maximus, que significava todo-bom e todo-poderoso. Júpiter foi o protetor da liga antiga das cidades latinas. Na religião de Roma antiga havia uma espécie de acordo entre os homens e os Deuses, mediado por rituais, que corretamente executado haveria de ser atendida a súplica. Se houvesse qualquer falha tornaria o ritual sem êxito. Portanto a religião romana exigia muitos especialistas que se uniam em colégios sacerdotais que zelavam pelos rituais. Entre eles estavam os Salios que eram Sacerdotes de Marte, Deus da guerra e os Lupércios que eram Sacerdotes de Fauno, Deus dos rebanhos. Os Flaminius eram os Sacerdotes de Júpiter (flamen Dialis), que não se reuniam em colégios e detinham o primeiro posto do Templo de Júpiter, o santuário mais importante de Roma, o centro da vida política, onde eram realizados os feitos oficiais inclusive as declarações de guerra e acordos de paz.

 

 

 

 

 

Adar2 (Fogo Sagrado)

 

O Adar é o fogo sagrado dos Zoroastristas  (Parsis). 

O fogo simboliza a pureza, a essência da vida, e a presença de Deus. Na história da criação de Zoroastro, o fogo é a última criação, mas traz vida à todos os que vieram antes dele. É um conceito semelhante ao Ruach ha Elohim, (Espírito Santo) nas escrituras hebraicas. A chama sagrada é presidida por Asha Vahista ("Santíssima Verdade"), uma das Amesha Spentas ou "Generosos Imortais", seres divinos semelhantes aos Arcanjos.

Este fogo é alimentado com oferendas de sândalo por adoradores. Um fogo sagrado é mantido aceso continuamente em templos Zoroastristas e indica que devemos orar somente na presença de uma chama. O Adar é a origem da ideia de uma "chama eterna". A chama sagrada no templo em Yazd (Irã) está queimando continuamente por 1500 anos. Alguns estudiosos bíblicos acreditam que a história de Moisés e a sarça ardente pode ter suas origens na mitologia de Zoroastro.    

 

 

 

 

 

 

 

 

Zoroastro diante da chama sagrada

 

1.     Fonte: S.I. KOVALIOV, História de Roma, Tomo I, pág. 211, Editorial Futuro S.R.L. , Buenos Aires, 1959. Tradizido do autor italiano MARCELO RAVONI. --- Resumo de Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan

2.     SymbolDictionary.net - A Visual Glossary

 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now